Resultados do primeiro semestre de 2014

Previous press release

Resultados do primeiro semestre de 2014

 

Resultados do primeiro semestre de 2014

 

€ 500 milhões recebidos por novos e importantes contratos fechados em junho de 2014

 

·         Forte atividade comercial no 2º trimestre, com índice book to bill de 127%

·         Receita: € 4,176 bilhões

·         Margem operacional: € 275 milhões, aumento de 20 pontos-base para 6,6%

·         Parcela de lucro líquido do Grupo: € 76 milhões

·         Fluxo de caixa livre: 124 milhões de euros.

 

IPO da Worldline consumado com sucesso, de acordo com o planejamento inicial

Oferta atual pela Bull até 31 de julho de 2014

Todos os objetivos para 2014 alcançados

 

 

Bezons, 29 de julho de 2014. A Atos, empresa internacional de tecnologia da informação, anunciou hoje seus resultados referentes ao primeiro semestre de 2014. A receita foi de € 4,176 bilhões, o que representa uma evolução orgânica de -1,9% em comparação com o primeiro semestre de 2013. A margem operacional foi de € 274,6 milhões, o que representa 6,6% da receita, uma melhoria de 20 pontos-base em comparação com o mesmo período do ano anterior.  O Grupo gerou € 124 milhões de fluxo de caixa livre na primeira metade de 2014. A posição de caixa líquido foi de € 845 milhões no fim de junho de 2014, incluindo € 628 milhões de caixa restrito para a aquisição da Bull (excluindo-se € 639 milhões da IPO (oferta pública inicial) da Worldline, recebidos em julho). A entrada de pedidos foi de € 4,360 bilhões, o que representa um índice book to bill (relação de pedidos sobre vendas) de 104% na primeira metade do ano. A parcela de lucro líquido do Grupo foi de € 76 milhões.

 

Thierry Breton, Presidente e Executivo-Chefe da Atos, disse: “A primeira metade deste ano foi especialmente ativa para o Grupo. Começamos a levar a cabo nosso plano trienal com a realização da IPO  da Worldline e o fortalecimento de nossas capacidades e tecnologias em ofertas inovadoras através da aquisição prevista da Bull. Dentro do Programa One Tier, também iniciamos várias ações para aumentar nossa eficiência, e o Grupo continuou a melhorar sua margem operacional. Como previsto, no que ainda era uma conjuntura econômica desfavorável, aumentamos substancialmente nossa entrada de pedidos no segundo trimestre, em particular pelo fechamento, em junho, de novos contratos que somam € 500 milhões. Isso mostra um forte impulso comercial que deve acelerar na segunda metade do ano. No longo prazo, todas essas ações posicionarão a Atos de modo a impulsionar o crescimento e oferecer um maior valor às partes interessadas”.

 

Atividade comercial

 

A entrada de pedidos do Grupo no primeiro semestre de 2014 totalizou € 4,360 bilhões, o que representa um índice book to bill de 104%, com 127% no 2º trimestre, como previsto. Em Serviços Gerenciados, o book to bill foi de 113%, particularmente impulsionado pelo Reino Unido, Benelux (Bélgica, Países Baixos e Luxemburgo) e países nórdicos, França e Ásia-Pacífico. Em Consultoria e Integração de Sistemas, o book to bill foi de 99%, puxado principalmente pela França. Na Worldline, o book to bill foi de 87%. Excluída a Siemens (carteira de pedidos encerrada em julho de 2011), o book to bill total foi de 107%.

 

No segundo trimestre, além das renovações, o Grupo firmou vários contratos novos e grandes, que vão impulsionar o crescimento orgânico já no segundo semestre de 2014. Eles incluem um contrato de mainframe de 10 anos com a Airbus na Alemanha, um contrato de gestão de infraestrutura de cinco anos com uma grande empresa postal e de remessas do Reino Unido, um contrato de terceirização total baseada na nuvem de cinco anos na França com uma das quatro maiores empresas de contabilidade, um contrato com a Disclosure Scotland, órgão executivo do governo da Escócia, um contrato de gestão de infraestrutura de três anos com uma grande empresa de eletrônica do Benelux, um contrato de gestão de Data Center de cinco anos com uma grande empresa holandesa de tecnologia e um contrato de terceirização de processos de negócios em finanças de seis anos com a NS&I no Reino Unido, o qual demonstra o valor da estratégia B-to-B com esse cliente. Esses sete contratos importantes totalizaram mais de € 500 milhões de entrada de pedidos.

 

Graças a seu investimento e às grandes capacidades desenvolvidas em ofertas inovadoras, o Grupo chegou a um acordo com a Siemens na área de segurança de Data Center. Para essa solução, a Atos e a Siemens assinaram uma extensão de três anos, de 2018 a 2021, como parte específica do contrato de TI de longo prazo referente a Serviços Gerenciados. Por fim, dentro da Aliança Global entre os dois Grupos, a Siemens e a Atos se comprometeram com um plano de investimento conjunto de mais de € 20 milhões em Análises de Dados.

 

Em 30 de junho de 2014, a carteira de pedidos total estava robusta, em € 15,3 bilhões e 1,8 ano de receitas, enquanto o fluxo qualificado total (full qualified pipeline) permaneceu saudável, em € 5,0 bilhões, na mesma faixa do final de 2013.

 

Desempenho no 1º Semestre de 2014 por Linha de Serviços

 

legendas da tabela acima

Revenue

Receita

Operating margin

Margem Operacional

H1 2014

1º Semestre de 2014

H1 2013

1º Semestre de 2013

% growth

Crescimento percentual

In € million

Em milhões de euros

Managed Services

Serviços Gerenciados

Consulting & Systems Integration

Consultoria e Integração de Sistemas

Corporate costs

Custos corporativos

Total IT Services

Total de Serviços de TI

TOTAL GROUP

TOTAL DO GRUPO

At constant scope and exchange rates

A escopo e taxas de câmbio constantes

Corporate costs exclude Global Delivery Lines costs allocated to the Service Lines

Os custos corporativos excluem os custos das Linhas de Produção Globais alocados às Linhas de Serviços

 

Serviços Gerenciados

 

Representando 51% do Grupo, a receita de Serviços Gerenciados, incluindo Terceirização de Processos de Negócios (BPO), foi de € 2,138 bilhões, uma queda de 2,3% em relação ao mesmo período do ano passado. Foi registrado crescimento no Reino Unido (3,7%), graças a uma dinâmica positiva no Setor Público, sobretudo com o aumento dos negócios com o Departamento de Saúde e a NS&I. A América do Norte cresceu 2,0% graças ao início da execução de vários contratos com o Setor Público e os Meios de Comunicação. A Linha de Serviços também cresceu em várias regiões, como a Península Ibérica, o Oriente Médio e a Índia. Na Alemanha, apesar dos novos contratos cuja execução está sendo iniciada em Telecomunicações e Serviços Financeiros, a receita caiu devido ao fim do período de transição com a Bayer e a uma redução dos preços acordada com a Siemens. A receita diminuiu no Benelux e nos países nórdicos em virtude do fim da execução de contratos em Serviços Financeiros e Telecomunicações, mais particularmente um contrato com a KPN, enquanto o novo contrato de terceirização de infraestrutura com a Philips foi formalizado com sucesso e teve a execução iniciada. Na Europa Central e no Leste Europeu, novos contratos começaram a gerar receita na Suíça, Itália, Polônia e Croácia, enquanto a Linha de Serviços obteve menores volumes e um efeito de base na Áustria e Eslováquia. Na França, um contrato baseado na Nuvem com um grande banco não compensou totalmente algumas reduções de escopo com clientes dos setores de Energia e Manufatura.

 

A margem operacional atingiu € 136,1 milhões. Três elementos principais afetaram a margem operacional da primeira metade do ano e foram parcialmente mitigados por ações contínuas de eficiência operacional. Em primeiro lugar, o desempenho na França enfrentou estouros de orçamento de transição pontuais; em segundo, houve um efeito de base devido à modificação do plano de aposentadorias registrada no primeiro semestre de 2013; e, por fim, o Grupo decidiu aumentar suas despesas operacionais com desenvolvimento para melhorar ainda mais a plataforma de Nuvem Canopy. Várias Unidades de Negócios apresentaram bom desempenho e ganho de margem, como Reino Unido, América do Norte e, em menor medida, Ásia-Pacífico, América Latina e Índia, Oriente Médio e África. Em particular, o Reino Unido e a Irlanda se beneficiaram do início da execução de grandes contratos com o Setor Público, enquanto ganhos de produtividade foram gerados no contrato de Terceirização de TI com a Siemens através de ações de transformação contínuas.

 

Consultoria e Integração de Sistemas

 

Representando 36% do Grupo, a receita de Consultoria e Integração de Sistemas foi de € 1,503 bilhões, uma queda de 2,1% em comparação com o primeiro semestre de 2013. O crescimento da receita na Alemanha foi impulsionado pelo contrato global com a NSN, bem como em Grandes Eventos, com o início da execução de vários projetos de jogos. A França permaneceu estável nesse período. A Linha de Serviços enfrentou uma atividade mais baixa com alguns clientes, especialmente no Benelux e países nórdicos (KPN), na América do Norte (AIG) e no Reino Unido e Irlanda (um grande meio de comunicação). Em termos de práticas, a Consultoria cresceu 12,3%, ainda se beneficiando da forte dinâmica no Reino Unido e de um aumento da taxa de utilização. O Gerenciamento de Aplicações cresceu 2,1%, e todas as regiões relataram um crescimento dessa prática, exceto os Países Baixos, que foram afetados por um contrato com a KPN.

 

Na Integração de Sistemas, a taxa de utilização subiu a 84,8% em 2014, em comparação com 81,2% na primeira metade de 2013.

 

A margem operacional foi de € 100,5 milhões a 6,7% da receita, um aumento de 170 pontos-base, o qual representa um passo importante do plano trienal “Ambição 2016”. A melhoria se deveu principalmente à Alemanha, Europa Central, Leste Europeu, Benelux, países nórdicos e França. A Linha de Serviços continuou a se beneficiar da transferência da produção para o estrangeiro em grandes contratos. A França contribuiu com a expansão das margens através da redução da base de custos sobre a receita estável. Graças ao forte controle dos custos em um contexto de redução de receita, a margem aumentou no Benelux e nos países nórdicos e se manteve quase estável na Península Ibérica.

 

Worldline


A receita da Worldline representou 13% do Grupo, ficando em € 535 milhões, um aumento de 0,2% em comparação com o mesmo período do ano passado. De um ponto de vista independente, a Wordline, como empresa de capital aberto, aumentou sua receita em 2,2%. A diferença entre as duas cifras se deve à receita adicional obtida com a Atos ou clientes da Atos dentro do programa de sinergia de vendas.

 

A margem operacional foi de € 80 milhões, o que representa 15,0% da receita, em comparação com 14,5% no primeiro semestre de 2013, uma melhoria de acordo com as expectativas para o ano todo.

 

A análise detalhada da Worldline pode ser encontrada em worldline.com, na seção de investidores, ou clicando aqui.

 

Desempenho no 1º Semestre de 2014 por Unidade de Negócios

       

legendas da tabela acima

Revenue

Receita

Operating margin

Margem Operacional

H1 2014

1º Semestre de 2014

H1 2013

1º Semestre de 2013

% growth

Crescimento percentual

In € million

Em milhões de euros

United Kingdom & Ireland

Reino Unido e Irlanda

Germany

Alemanha

France

França

Benelux & The Nordics

Benelux e países nórdicos

Central & Eastern Europe

Europa Central e Leste Europeu

North America

América do Norte

Iberia

Península Ibérica

Other BUs

Outras Unidades de Negócios

Global structures

Estruturas globais

Total IT Services

Total de Serviços de TI

TOTAL GROUP

TOTAL DO GRUPO

At constant scope and exchange rates

A escopo e taxas de câmbio constantes

Global structures include the Global Delivery Lines costs not allocated to the Group Business Unit and the Corporates costs

As estruturas globais incluem os custos das Linhas de Produção Globais não alocados à Unidade de Negócios do Grupo, assim como os custos corporativos

 

Por região geográfica, em uma conjuntura econômica que continua desfavorável na Europa, o Grupo se concentrou em proteger ou melhorar sua lucratividade operacional mediante a execução de novas iniciativas do Progama Tier One para compensar a diminuição da receita em várias regiões. Todas as Unidades de Negócios melhoraram sua margem operacional, exceto a França e o Reino Unido e Irlanda. O Reino Unido enfrentou um contrato difícil com a Transport for the Greater Manchester (TfGM), que levou a um prejuízo de € 10 milhões, registrado no primeiro semestre. Ao mesmo tempo, o contrato de WCA com a DWP também afetou a margem operacional. A França foi afetada principalmente pela falta de receita em Serviços Gerenciados, parcialmente mitigada por um forte controle dos custos indiretos. Em uma conjuntura econômica que continua difícil e com queda da receita, o Benelux e os países nórdicos atingiram uma taxa de margem de dois dígitos. O Grupo continuou reduzindo seus custos da estrutura Global, tanto em Serviços de TI como na Worldline.

 

Lucro operacional e lucro líquido

 

A maioria das ações referentes a reorganização e racionalização se iniciou no começo do ano, com o objetivo de maximizar o efeito no ano todo. Portanto, o lucro operacional do primeiro semestre do ano foi de € 129 milhões em virtude dos itens a seguir:

 

As despesas de reorganização do pessoal foram de € 82 milhões como consequência de:

-      um plano de reestruturação na Alemanha acordado com os Sindicatos em junho de 2014 para os funcionários situados em Frankfurt, além do término do contrato de Gerenciamento de Aplicações com o Dresdner Bank, adquirido pelo Commerzbank;

-      adaptação da força de trabalho do Grupo em vários países, como Benelux e países nórdicos, Península Ibérica, Reino Unido e Alemanha;

-      otimização das camadas intermediárias da administração, incluindo as Estruturas Globais.

 

Os custos da racionalização foram de € 22 milhões, em virtude do fechamento de escritórios e da consolidação de data centers, principalmente na Alemanha, no Benelux e nos países nórdicos, vinculados aos planos de reestruturação. Esse valor inclui também os custos externos da execução do Programa TEAM da Worldline.

 

Foram registrados € 7 milhões de custos de integração e aquisição, representativos principalmente de custos remanescentes da migração e padronização de plataformas de TI internas.

No primeiro semestre de 2014, € 22 milhões foram registrados como amortização dos ativos intangíveis SIS e reconhecidos como parte da Purchase Price Allocation (PPA), no mesmo nível do mesmo período do ano passado.

O resultado financeiro foi um encargo de € 21 milhões envolvendo um custo de dívida de € 6 milhões, fortemente reduzido em relação ao mesmo período do ano passado, que incluiu os dois bônus conversíveis. O restante dos itens financeiros estava relacionado às aposentadorias e às despesas de câmbio.

 

O encargo fiscal total foi de € 29 milhões, o que representa uma alíquota efetiva de 27,0%, em comparação com 31,6% na primeira metade de 2013.

 

Portanto, a parcela de lucro líquido do Grupo foi de € 76 milhões.

 

Fundos líquidos e fluxo de caixa livre

 

O Grupo confirma o valor referente ao ano todo para custos de reorganização, racionalização e integração, com redução de € 20 milhões em relação a 2013, como indicado em fevereiro último na apresentação dos resultados do exercício fiscal de 2013.

 

O OMDA foi € 401 milhões, o que representa 10% da receita, frente a € 381 milhões no primeiro semestre de 2013.

O desembolso com a reorganização do pessoal foi de 71 milhões, e a racionalização dos locais representou 19 milhões, dentro do plano de redução de imóveis.

Os dispêndios de capital líquidos totalizaram 155 milhões, o que representa 3,6% da receita.

O capital de giro aumentou em 31 milhões. De fato, dentro do programa de otimização de compras destinado a reduzir o número de fornecedores, as condições de pagamento foram renegociadas, a valer a partir do primeiro semestre de 2014.

Por fim, o imposto pago foi 75 milhões, e o fluxo de caixa livre do Grupo totalizou 124 milhões.

No fim da primeira metade de 2014, o Grupo pagou 20 milhões pela aquisição da Cambridge Technology Partners, conceituada firma de consultoria situada na Suíça que gerou uma receita de € 35 milhões de em 2013.

O desembolso resultante da opção de pagar em dinheiro o dividendo de 2013 foi de 38 milhões.

Durante o primeiro semestre de 2014, o Grupo recomprou ações da Atos por 139 milhões dentro do programa de recompra e do contrato de liquidez.

A posição de caixa líquido do Grupo em 30 de junho de 2014 era de 845 milhões, incluindo € 628 milhões de caixa restrito para a aquisição da Bull e excluindo o rendimento da IPO da Worldline recebido em julho (€ 639 milhões).

 

Recursos humanos

O efetivo total era de 76.465 no fim de junho de 2014, praticamente estável em relação a junho de 2013.

O número de funcionários diretos em junho de 2014 era 70.892, o que representa 92,7% do efetivo total, frente a 91,5% no encerramento do primeiro semestre de 2013.

Na primeira metade de 2014, foram recrutados 5.476 novos funcionários, 53% dos quais em países estrangeiros. O efetivo estrangeiro representava 22% do efetivo total no fim de junho de 2014, um aumento de 16% em relação ao mesmo período do ano anterior. Desses, 56% se encontravam na Índia, principalmente em Integração de Sistemas, e 26% na Europa Central e Leste Europeu, sobretudo em Serviços Gerenciados.

A perda de pessoal no primeiro semestre foi de 9,7% no Grupo e de 17,1% nos países emergentes.

 

Resultados finais da IPO da Worldline

Em 27 de junho de 2014, conforme o planejamento inicial, a Worldline, uma subsidiária da Atos SE e um dos principais fornecedores de pagamento eletrônico e serviços transacionais da Europa e um dos maiores do mundo, teve a ação cotada com sucesso na Euronext Paris a um preço inicial de € 16,40 por ação, o que representa uma capitalização de mercado de € 2,2 bilhões.

A opção de sobrealocação terminou em 25 de julho de 2014, tendo sido exercida a 75%. Resultou na venda, pela Atos, de 3.923.452 ações adicionais da Worldline ao preço unitário de € 16,40.

Ao fim desta operação, o volume final da oferta foi de 639 milhões, dos quais € 255 milhões foram levantados pela Worldline e um produto bruto foi registrado pela Atos no valor de € 384 milhões.

Por fim, a Atos detém uma porcentagem restante da participação e dos direitos de voto de 70,4% na Worldline.

 

Oferta de aquisição da Bull

A aquisição da Bull representa para a Atos uma oportunidade única de construir o líder europeu de TI global em Nuvem e tecnologias essenciais (Big Data e Segurança Cibernética) através de sinergias de custos e de uma forte criação de valor. A oferta fecha em 31 de julho de 2014.

Calendário indicativo da transação:

·         31 de julho de 2014: fechamento da Oferta

·         11 de agosto de 2014: publicação, pela AMF, da notificação do resultado da Oferta

·         18 de agosto de 2014: liquidação e entrega de ações

·         30 de setembro de 2014: implementação do procedimento de aquisição forçada (squeeze-out) se a aquisição de 95% das ações for alcançada, ou implementação de um processo de fusão

 

Objetivos para 2014

Com relação à primeira metade do ano, e levando em conta a perspectiva do segundo semestre, o Grupo confirma todos os seus objetivos para 2014 indicados no boletim de 19 de fevereiro de 2014, ou seja:

Receita

O Grupo espera crescer positivamente em relação a 2013.

Margem operacional

O Grupo tem como objetivo continuar melhorando sua taxa de margem operacional, tendo como meta 7,5% a 8,0% da receita.

Fluxo de caixa livre

O Grupo espera alcançar um fluxo de caixa livre superior ao de 2013, de acordo com a ambição para 2016.

 

Anexo

 

Receita e margem operacional a escopo constante e conciliação de taxas de câmbio

 

 

legendas da tabela acima

H1 2014

1º Semestre de 2014

H1 2013

1º Semestre de 2013

% growth

Crescimento percentual

In € million

Em milhões de euros

Statutory revenue

Receita legal

Scope effect

Efeito do escopo

Exchange rates effect

Efeito das taxas de câmbio

Revenue at constant scope and exchange rates

Receita a escopo e taxas de câmbio constantes

Operating margin

Margem operacional

Scope impact

Impacto do escopo

Exchange rates impact

Impacto das taxas de câmbio

Operating margin at constant scope and exchange rates as % of revenue

Margem operacional a escopo e taxas de câmbio constantes como porcentagem da receita

O efeito do escopo foi gerado pela aquisição da WindowLogic (Ásia-Pacífico, julho de 2013) e a alienação da Atos Formation (França, março de 2013) e da Metrum (Países Baixos, janeiro de 2014).

O efeito das taxas de câmbio se deveu principalmente à desvalorização do peso argentino, do real brasileiro e do dólar dos Estados Unidos em relação ao euro e à valorização da libra esterlina frente ao euro.

 

Receita no 1º Semestre de 2014 por Mercado


legendas da tabela acima

Revenue

Receita

H1 2014

1º Semestre de 2014

H1 2013

1º Semestre de 2013

% growth

Crescimento percentual

In € million

Em milhões de euros

Manufacturing, Retail & Transportation

Manufatura, Varejo e Transporte

Public & Health

Setor Público e Saúde

Telcos, Media & Utilities

Telecomunicações, Mídia e Serviços Públicos

Financial Services

Serviços Financeiros

TOTAL GROUP

TOTAL DO GRUPO

At constant scope and exchange rates

A escopo e taxas de câmbio constantes

 

Teleconferência

Hoje, 29 de julho de 2014, o Presidente e Executivo-Chefe, Thierry Breton, junto com o Vice-Presidente Executivo Sênior responsável pelas Operações Globais, Charles Dehelly, o Diretor Financeiro, Michel-Alain Proch, e o Diretor Comercial, Patrick Adiba, comentarão os resultados da Atos na primeira metade de 2014 e responderão as perguntas  da comunidade financeira durante uma teleconferência em inglês a partir das 8h15 (horário de Paris).

Os números das conferências de áudio são:        França:                                 +33 1 70 99 32 12               código 946633

Reino Unido:       +44 207 1620 177              código 946633

EUA:                       +1 334 323 6203 código 946633

 

A conferência (áudio e webcast) e a apresentação também estarão disponíveis no nosso site atos.net, na seção de Investidores.

 

Próximo evento

 

7 de novembro de 2014                                Receita do terceiro trimestre de 2014

 

Contato

Relações com Investidores:

Gilles Arditti    Tel. +33 (0) 1 73 26 00 66    gilles.arditti@atos.net

Imprensa:

Caroline Crouch    Tel. +44 77 333 100 86    caroline.crouch@atos.net

Josefina de Vries    Tel. +31 (0) 6 30 27 26 11    jose.devries@atos.net

 

Sobre a Atos

 

A Atos é uma empresa internacional de serviços de tecnologia da informação com receita de 8,6 bilhões de Euros em 2013 e 76.300 funcionários distribuídos em 52 países. Com uma base global de clientes, a empresa presta serviços de TI nas áreas de Consultoria & Integração de Sistemas, Serviços Gerenciados e, por meio da subsidiária Worldline - líder europeia e player mundial no setor de serviços de pagamentos -, atua com  serviços transacionais. A companhia possui ampla expertise em tecnologia e conhecimento profundo da indústria, atendendo empresas dos seguintes mercados: Manufatura, Varejo, Transporte, Setor Público, Saúde, Serviços Financeiros; Telecomunicações, Mídia e Serviços Públicos.

 

A Atos é especializada em tecnologia aplicada aos negócios, oferecendo soluções que impulsionam o crescimento e ajudam na criação de empresas do futuro. É a parceira mundial de tecnologia da Informação dos Jogos Olímpicos e Paraolímpicos e suas ações estão listadas na NYSE Euronext de Paris. A Atos opera sob as marcas Atos, Atos Consulting, Worldline e Atos Worldgrid. Para mais informações, visite br.atos.net

 

Aviso legal

 

Este documento contém declarações prospectivas que envolvem riscos e incertezas relacionados ao crescimento esperado do Grupo e à sua lucratividade no futuro. Eventos ou resultados reais podem diferir dos descritos neste documento devido a uma série de riscos e incertezas que são descritos no Documento de Referência de 2013 apresentado à Autorité des Marchés Financies (AMF) em 2 de abril de 2014 sob o número de registro D14-0272.

 

As Unidades de Negócio incluem Alemanha, França, Reino Unido e Irlanda, Benelux e países nórdicos (BTN: Países Baixos, Bélgica, Luxemburgo, Dinamarca, Finlândia, Suécia e Estônia), Worldline, Europa Central e Leste Europeu (CEE: Áustria, Bulgária, Croácia, Sérvia, Polônia, República Tcheca, Rússia, Romênia, Eslováquia, Hungria, Suíça, Itália e Turquia), América do Norte (Estados Unidos e Canadá), Península Ibérica (Espanha, Portugal e Andorra) e Outras Unidades de Negócios, incluindo Grandes Eventos, América Latina (Brasil, Argentina, México, Colômbia e Chile), Ásia e Pacífico (Japão, China, Hong Kong, Cingapura, Malásia, Indonésia, Filipinas, Taiwan, Tailândia, Nova Zelândia e Austrália), Índia, Oriente Médio (Emirados Árabes Unidos, Qatar e Arábia Saudita), Marrocos, África do Sul, e Nuvem e Software Empresarial.

 

O crescimento orgânico de receitas é apresentado considerando-se escopo e taxas de câmbio constantes.

 

 

O website da Atos utiliza cookies. Ao continuar a navegar neste website, concorda com a utilização de cookies para medir e compreender a forma como as
nossas páginas são vistas e melhorar a forma como o nosso site funciona. Se não concordar, poderá optar por desativar os cookies no seu navegador, tal como
referido na nossa Política de Privacidade
Aceitar cookies Mais Informação